segunda-feira, 6 de julho de 2009

Funções Dêitica, Anafórica, Catafórica, Exofórica, Epanafórica...

Olá pessoal!
Em virtude da dificuldade de encontrar-se um único texto desvendando os mistérios dessas funções, comumente exploradas pela FGV em provas de língua portuguesa, decidi tentar reunir todas neste artigo, de forma a orientá-los sobre a correta classificação das palavras que exercem os referidos papéis.

Função Endofórica x Função Exofórica

Inicialmente, é preciso identificarmos esses dois conceitos. Embora a FGV não use o termo “endofórica” nas questões, o faz com a palavra “exofórica”. Como exemplo, mostro-lhes as opções de uma questão que já caiu em prova:
(A) Exofórico
(B) Epanafórico
(C) Dêitico
(D) Catafórico
(E) Anafórico

O enunciado não é importante no momento, basta que percebamos quais funções foram colocadas como opções de resposta. No final deste artigo, será possível responder essa questão, sem mesmo termos lido o enunciado. Tenhamos um pouco de paciência até lá!
Quero, com essa pequena introdução, informar que as palavras “endofórica” e “exofórica” são, na verdade, gêneros, dos quais são derivadas as demais funções. Entretanto, como podemos perceber pelas alternativas da questão acima, nada impede que esses termos sejam usados de forma geral, ou até mesmo de forma específica. Vejamos:

A função endofórica pode ser classificada em anafórica ou catafórica (estudaremos cada função separadamente). Já a função exofórica é mais conhecida como dêitica (ou díctica). Mas qual é a diferença entre endofórica e exofórica?
A resposta é bastante simples! Basta atentarmos aos prefixos formadores dos conceitos:
Endo – prefixo grego que significa “dentro”.
Exo – prefixo grego que significa “fora”.

Ora, como estamos tratando de recursos textuais, concluiremos que as palavras com função endofórica se relacionam com termos do próprio texto. Já as exofóricas trazem algo de fora para dentro do texto.
Entendidos os conceitos, passemos à análise de cada função:

Anafórica

Em primeiro lugar, gostaria de alertar para o fato de que “anáfora” pode ser também uma figura de linguagem, que consiste na repetição da mesma palavra no início de várias frases. Não precisam se preocupar, pois a função anafórica está relacionada a este conceito.
Uma palavra anafórica tem a função de retomar algo (não necessariamente uma palavra) já mencionado no texto, muitas vezes a fim de evitar repetições desnecessárias ou viciosas.
O exemplo mais comum de anáfora é um dos usos dos pronomes demonstrativos:
Exemplo: Farei duas provas em agosto, a do ICMS-RJ e a do ICMS-SP. Prefiro passar naquela a nesta, pois moro no Rio de Janeiro.
ICMS-RJ < (n)aquela ICMS-SP < (n)esta Outro exemplo para ilustrar essa função é o uso do pronome relativo “que” e suas variações, retomando um termo anterior. Exemplo.: Ainda não li o texto que ele escreveu. texto < que (Ainda não li o texto / Ele escreveu o texto) Catafórica Já a palavra catafórica tem a função de antecipar algo que ainda será dito ou escrito. Nesse caso, não haverá repetição, pois a palavra irá apresentar a ideia. O exemplo mais comum (e mais cobrado pela FGV) é o pronome demonstrativo que faz referência a um aposto. Exemplo: Nosso objetivo é este: passar em um bom concurso. este > passar em um bom concurso

Da mesma forma que o relativo “que” faz referência a um termo anterior, o “cujo” se refere a um termo que ainda será explicitado na frase.
Exemplo: Conheço uma menina cujo pai é auditor da Receita.
cujo > pai

Dêitica

A função dêitica, às vezes chamada de díctica, é aquela que faz a referência exofórica, sendo responsável por localizar algo no tempo ou no espaço.
“Como assim Diego?!”
Ora, prestem atenção na seguinte frase: Aqui está muito frio.
Onde eu estou?
Bom leitor, a sua resposta deverá ser: “Não sei! Só sei que estava frio no lugar em que você escreveu o texto”
Exatamente, até porque, no momento que vocês estão lendo o texto, eu não estou mais “aqui”.
Acabamos de ver um exemplo de referência espacial, ou seja, uma palavra (no caso, o advérbio “aqui”) que traz uma ideia de fora para este texto.
O mesmo acontece com advérbios de tempo. Por exemplo, se eu disser que ontem fui ao cinema (mentira, fiquei em casa estudando...), vocês precisarão saber em que data eu escrevi o texto, aí sim, poderão identificar o referente do advérbio de tempo.
É interessante fazer uma relação entre os dêiticos e a passagem do discurso direto para o indireto (outro assunto que a FGV gosta de cobrar), pois a alteração deles é normalmente necessária.
Exemplo: se eu escrever o seguinte na data de hoje:
Na semana que vem, comprarei alguns livros.
Vocês terão uma semana para ler a frase com seu sentido original. A partir da próxima semana, a frase correta será:
Diego escreveu que compraria alguns livros na semana seguinte.

O maior problema não é esse, mas sim a possibilidade de pronomes demonstrativos exercerem função dêitica, como eu já expliquei no comentário da questão do post anterior.
Vou explicar a diferença da seguinte forma:
Imaginem que estamos frente a frente, eu e você, caro(a) leitor(a). Mas não estamos sozinhos, há duas meninas a mais, uma ao meu lado, a outra ao seu lado.
Suponhamos que eu diga: Essa é a minha irmã.
Estou falando da menina ao meu ou ao seu lado?
Haveria diferença se eu dissesse “Esta é a minha irmã.” ?
Ou então “Aquela é a minha irmã.” ?
A resposta é sim! Há diferença em cada uma das frases, pois a referência espacial de cada pronome é diferente.
Essa é a minha irmã : minha irmã está ao seu lado.
Esta é a minha irmã: minha irmã está ao meu lado.
Aquela é a minha irmã: minha irmã não está ao meu lado, muito menos ao seu. Ela está longe de mim e longe de você.

Percebam que não é fácil explicar em texto algo que está fora dele. Espero ter criado um bom exemplo.

Epanafórica

Temos aqui não uma função, mas sim uma figura de linguagem, semelhante à anáfora, ou seja, é a repetição de uma palavra no início de cada verso ou frase. Além da epanáfora, há várias outras figuras com nomes parecidos, que podem ser colocadas para confundir nossas cabeças: epanadiplose, epanalepse, epanastrofe, epânodo. Todas elas são tipos de repetição de palavras, ora no início, ora no fim das frases.

Como eu mencionei no início do texto, agora é possível responder a questão sem o enunciado. Já que exofórico = dêitico e epanafórico = anáforico. A resposta só pode ser a letra D (catafórico). Esta e outras questões poderão ser resolvidas no próximo post. Estou selecionando todas as questões sobre esse assunto nas provas da FGV. Iremos, de uma vez por todas, acabar com o medo desse tipo de questão!

Gostaria de deixar claro que não tenho a intenção de esgotar o assunto, até porque este é um tema para cursos de linguística. Pretendo apenas capacitar todos vocês a fazer qualquer questão a nível de FGV. Tenho certeza que muitos passarão a achar graça de algumas questões, de tão fáceis.

Um forte abraço e bom estudo!

Diego Garcia (Dimalkav)
dimalkav@yahoo.com.br

118 comentários:

  1. nao entendi nada, muito prolixo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Infelizmente há erro de Lógica na tentativa de excluir as opções (B) Epanofórico e (E) Anafórico. Porém, a falha de raciocínio, por sorte, não afastou a escolha da opção verdadeira: (D) Catafórico.
      Ou seja, eu posso descartar a opção (B) Epanofórico e ainda restar como opções plausíveis (D) Catafórico e (E) Anafórico, de modo que o Enunciado continua importante para definir a questão.
      Em verdade, a questão analisada não é tão fácil quanto o Autor pretendeu mostrar.
      Por favor, leiam Schopenhauer!
      No mais, gostei muito do artigo postado, com ótimas ideias e excelente intenção!

      Excluir
    2. Amigo, se não consegue entender explicações claras e objetivas como essas, melhor procurar orientação médica ou psicológica, pois seu caso não compete mais aos professores.

      Excluir
    3. Em vez de "Não entendi nada" devia ter colocado "Tive preguiça de ler".

      Excluir
    4. Sinceramente se você não entendeu, nem se tivesse tivesse desenhado iria facilitar sua vida.

      Gostei da explicação, parabéns!

      Excluir
  2. Caro Anônimo, por favor, da próxima vez que fizer um comentário, identifique-se ok?!
    Não imagino como não tenha entendido "nada", até porque tento escrever da forma mais simples possível.
    Minha sugestão é que leia o post em que comento algumas questões de prova, talvez fique menos complicado.
    De qualquer forma, se quiser tirar alguma dúvida específica, pode deixar um comentário aqui.

    Diego

    ResponderExcluir
  3. Esse anônimo precisa ler o s livros da Ingedore Vilalaça Koch....Se essa explicação tão singela não serviu...Imagino que não entenderá leituras mais complexas...

    ResponderExcluir
  4. pow mto bom gostei mto dos comentarios
    e pratico e simples
    obrigado

    ResponderExcluir
  5. Adorei! Gostaria de que me enviasse exercícios com gabarito. Meu e-mail- professora-querida@hotmail.com

    ResponderExcluir
  6. querido Diego, parabéns pela sua iniciativa em tornar público os seus dotes em relação a ter facilidade em explicar alguns temas mais complexos,melhor dizendo, aparentemente complexos.Gostei muito e deixo aqui meu email para compartilharmos ideias e informaçoes.geaninecristina@hotmail.com

    ResponderExcluir
  7. Uffaa até que em fim... encontrei um anjo na terra para auxiliar-me nessa caminhada ardua de compreender esses termos que caem sempre nas provas que faço de concurso!e nunca me lembro qual a real definição por falta de um entendimento claro ...pois os textos tanto na internet quanto nos livros são prolixos e "obscuros" quanto ao real conceito de cada uma... em fim... agradeço-te pela compaixão de distingui e divugar esse tema ...
    bjos..

    ResponderExcluir
  8. muito bom o seu blog
    gostei muito ds explicações dadas, gostei tanto que até usei-as para o meu trabalho de portugues
    parabéns

    ResponderExcluir
  9. Muito obrigada! Estava com uma questão aqui que tinha "dêitico", e do que vi na internet, o seu texto foi o que mais me esclareceu. O único problema é essa letra pequena nesse fundo preto... Dá uma dor de cabeça...
    Mas, muito bom! Valeu a ajuda!!!

    ResponderExcluir
  10. Valeu pela sua iniciativa, mas gostaria de saber sobre sua formação acadêmica, Diego, e em que fonte(s) pesquisou sobre esse assunto.

    um abraço!

    ResponderExcluir
  11. Parabéns pela iniciativa de passar o seu conhecimento, isso não tem preço.
    Abraços e sucesso.

    ResponderExcluir
  12. Ao leitor que perguntou sobre as fontes pesquisadas, não conheço um material que trate desse assunto de forma completa (que pelo menos mencione as funções utilizadas em prova).
    Na Internet, é possível encontrar questões avulsas (principalmente da FGV) comentadas.
    Por isso, estudei a forma como o assunto é cobrado e escrevi este texto.
    Abraço!

    ResponderExcluir
  13. Fernando Lima de Porto Alegre,está ótimo a explicação,sem comentários desnecessários, apesar de no momento estar apegado à FCC sou
    antes de qualquer coisa uma espécie de investigador desta língua e não gosto de ser surpreendido em provas.Provas comentadas isso procuro agora.Se puderem me ajudem fernando_phaelante@hotmail.com abraço.

    ResponderExcluir
  14. sou especialista em português achei sua explicação
    e seus exemplos ótimos.Qualquer aluno com conhecimento em pronomes demonstrativo\relativo
    E leitura entenderá o assunto. parabéns prof..

    ResponderExcluir
  15. Olá Diego!

    Extraordinária a sua explicação com referência estas funções, ajudou bastante.

    Você está de Parabéns

    Muito sucesso e permaneça sempre compartilhando seus conhecimentos diga-se de passagem muito valioso.

    Muito Grata

    Ila

    ResponderExcluir
  16. Diego, parabéns. É um ótimo artigo sobre um assunto complicado que quase ninguém conhece.

    Guilherme

    ResponderExcluir
  17. Bem interessant e facil d aprender
    gostei!!!
    Principalment tirei minha duvidas...

    ResponderExcluir
  18. diego, parabens gostei muito das suas explicaçoes.Emilia, peruibe s.p.

    ResponderExcluir
  19. gostei bastante! continue transmitindo seu conhecimento, afinal quanto mais vc passa para alguem mais vc aprende!!!

    ResponderExcluir
  20. Parabéns Diego!

    Achei sua explicação muito clara! Vou me tornar assídua deste endereço eletrônico!!! Abraço

    ResponderExcluir
  21. Muito bem escrito o artigo.

    E o modo como vc matou a quetão no final, sem nem ter a pergunta foi genial :)

    Meus professores de português do colégio não eram muito bons de lógica q nem vc nao. Azar o meu. ;)

    ResponderExcluir
  22. ADOREI, pois vc consegui tirar algumas dúvidas minhas, posso enviar dúvidas para vc? abraços

    ResponderExcluir
  23. Olá pessoal!
    Passando só para agradecer os elogios. Fico muito feliz em ajudá-los!

    Sempre que quiserem se comunicar comigo podem enviar e-mails ok?!
    Um abraço!

    Diego

    ResponderExcluir
  24. Simples e claro. Estou muito interessada nos exercícios...
    suelyfvieira@gmail.com

    ResponderExcluir
  25. Diego
    ótima explicação!
    Nilvane

    ResponderExcluir
  26. Show de bola. Fantástico!

    Igor
    Prof de matemática.

    ResponderExcluir
  27. Ótimo trabalho Professor!!!
    Sempre passarei por aqui para ver as novidades!!!!EVA.

    ResponderExcluir
  28. Professor,
    vi em outro site que anafórico e epanofórico é a mesma coisa. Surgiu dúvidas ao ler onde vc disse que são semelhantes. Como devo guardar os dois?

    ResponderExcluir
  29. Elu, são semelhantes (sinônimas) quando estamos tratando do tema "figuras de linguagem".
    No caso das funções tratadas neste artigo, só existe a anafórica.
    Um abraço!

    Diego

    ResponderExcluir
  30. Amei ...simples, direto, exato.
    Obrigada !!!!
    Maria Boaventura

    ResponderExcluir
  31. Obrigada, Diego. Vc conseguiu esclarecer bastante as minhas dúvidas em relação às funções Anafórica e exofórica.
    Vc poderia enviar-me questões com gabaritos de vestibulares ou outros Concursos Públicos relacionadas a esses assuntos?
    Obrigada!
    Abraços!!
    E-mail: gsantana20@yahoo.com.br

    ResponderExcluir
  32. Obrigada, Diego. Vc conseguiu esclarecer bastante as minhas dúvidas em relação às funções Anafórica e exofórica.
    Vc poderia enviar-me questões com gabaritos de vestibulares ou outros Concursos Públicos relacionadas a esses assuntos?
    Obrigada!
    Abraços!!

    ResponderExcluir
  33. Altair.
    Diego, muito bom vc tem o dom de transformar a teoria em algo prático e acessível. Meu amigo em relação aos dêiticos, se não me engano, não faltou os actantes? Mande-me respostas. Vc está de parabéns. meu e-mail: awtairprof@gmail.com

    ResponderExcluir
  34. Muito bem explicado, Parabéns...
    Gostaria que você me mandasse algumas questões com gabaritos.
    Meu E-mail é: ''Renan1770@yahoo.com.br''

    ResponderExcluir
  35. Nossa! Realamente partilhar o conhecimento não tem preço...
    Parabéns! É de pessoas assim que o Brasil precisa...

    ResponderExcluir
  36. Nossa vc explica muito bem, parabéns!!!
    Eu aqui estudando para uma prova e vc me aparece, serei sua visitante sempreeeeeeeee.
    anaclaudia.felix@hotmail.com

    ResponderExcluir
  37. Adorei suas explicações,vc é o anjo que estava precisando rsrs. Explica muitíssimo bem, parabéns e mto obrigada pelas dúvidas mto bem esclarecidas.

    ResponderExcluir
  38. Confuso e traz alguns erros de explicação! Mas valeu pelo esforço!

    ResponderExcluir
  39. pow, adorei as explicações mas esse finalzinho eu não entendi bem:

    dêitico = epanafórico = anáforico?

    ResponderExcluir
  40. Esclareceu muito. Será que você tem exercícios comentados da FGV. Pode me enviar? Obrigada.
    keuribeiro@hotmail.com. (Keu)

    ResponderExcluir
  41. Muito obrigado!!!!!!!!!

    ResponderExcluir
  42. parabens vc me ajudou muito, que DEUS te ajude para que vc alcance seus objetivos...muito obrigado!!!

    ResponderExcluir
  43. Muito bem explicado!!!
    Carol

    ResponderExcluir
  44. Texto muito claro e muito bom,bom mesmo.
    Lélia

    ResponderExcluir
  45. Olá Diego, muito bom suas explicações, no próximo mês irei fazer a prova da minha vida, pois será a última chance de entrar na Polícia Militar em relação a minha idade (28 anos. Estou muito focado em português, se você puder me ajudar com artigos ou provas da FGV (a mesma que vai elaborar a prova), ficarei muito grato.
    juniel25@yahoo.com.br

    ResponderExcluir
  46. muuuito bom o texto.. adorei!

    ResponderExcluir
  47. Showwwwwwwwww me ajudou muitoooooooooooo
    valeu
    suelen

    ResponderExcluir
  48. Párabens Diego !

    Direto e exato o artigo,nós estudantes precisamos de pessoas como vc.
    Poderia falar sobre pronominalização ou então esclarecer algumas coisas do edital da UERJ ?

    Grata
    Natalia

    ResponderExcluir
  49. Obriagada me ajudou muito!
    Acsa

    ResponderExcluir
  50. Quando fiz faculdade (Letras) aprendi que:
    - este(s), esta(s) e isto são catafóricos, pois se referem ao que vai ser dito. Ex. Por estes motivos não vou ao cinema, estou cansado e desanimado. (cansado e desanimado estão depois do pronome demonstrativo - estes)
    - esse(s), essa(s) e isso são anafóricos, pois se referem ao que já foi dito. Ex. Estou cansado e desminado, por esses motivos não vou ao cinema. (cansado e desanimado estão antes do pronome demonstrativo - esses)
    - aquele(s), aquela(s) e aquilo são dêiticos, pois se referem ao que está fora do campo textual. Ex. As amigas foram à praia naquele dia ensolarado. (o dia não está presente no texto, já passou)
    E ainda que, quando utilizamos os pronomes demonstrativos no texto não os usamos de forma espacial e sim de forma contextual. Portanto, não concordo com o seu exemplo da irmã que transmite uma idéia espacial (perto ou longe de quem fala e não de quem escreve).

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Viviani,

      concordo com o seu comentário e acho que os exemplos simplórios de Diego, apesar da boa intenção, têm características de 'dica', tudo o que candidatos a concurso buscam (daí o sucesso). Sua explicação está dentro da linguística de texto, tem consistência, mas quem vai querer consultar Koch ou Marcuschi? É isso.

      Excluir
  51. Sua explicação é fantástica, principalmente para aqueles que têm dificuldades. Obrigada Diego que Deus te abençõe,
    Rita

    ResponderExcluir
  52. Diego, será que você teria o gabarito da prova de 2003 de Inspetor de segurança penitenciário do estado do Rio de janeiro. Já recorri a vários sites e não consigo. Desde já agradeço sua compreensão,
    Rita

    ResponderExcluir
  53. Diego, gostei muito parabens, vc tem algum material sobre regência? Se tive e puder enviar no meu e-mail: luiscarloscaue@hotmail.com

    abs,

    Luís Carlos

    ResponderExcluir
  54. Muito simples e perceptível. sou portuguesa, vou ter um exame sobre essa matéria na faculdade e esta explicação ajudou muito. obrigada-

    ResponderExcluir
  55. Diego, adorei seu comentário iluminou a minha vida. O assunto no meu ponto de vista não é fácil, mas você trouxe luz no fim do túnel.(rsrsrs)
    Posso tirar algumas futuras dúvidas com você por e-mail?
    Agradeço desde já a ajuda.
    Um grande abraço e sucesso.

    ResponderExcluir
  56. Parabéns pelo belo post, ao qual você nos presenteou.Tudo mencionado, foi muito importante para meu aprendizado.Fez com que eu pudesse entender todo o assunto, de forma bastante simples.Salvou uns dos trabalhos mais importantes de minha vida.
    Muito Obrigada !
    Bárbara .

    ResponderExcluir
  57. Parabéns, vc conseguiu explicar de uma maneira muito didática.
    Valeu!!!!!

    ResponderExcluir
  58. .


    Achei muito bem explicado, tenho consultado algumas fontes e encontrado dificuldades. Meu interesse não é o concurso mas sim a semântica para uso em informática (prog e BD).
    Por exemplo, estou com dificuldades de fazer uma taxonomia de fato (acontecimento, evento, ocorrência). Tenho pesquisado um ponto que poucas gramáticas lusófonas tocam: o aspecto frasal. Traduzi do inglês e estou tentando adaptar. Mas esbarrei em coisas como "Gnomic". Quem sabe pode ajudar... obrigado.


    .

    ResponderExcluir
  59. Gostei muito,você me ajudou no meu trabalho.Eu não encontro isso em nenhum lugar!
    você é bem experiente nisso!
    sua explicação é ótima!

    ResponderExcluir
  60. MUito bom e simoples de entender!!

    Plácido Rodrigues.

    ResponderExcluir
  61. eu curti muito o texto,adorei o blog.E já estou seguindo.A 2ª fase do meu vestibular será de Português e História,daí o blog está de parabéns!
    Abração;)

    ResponderExcluir
  62. Olá, sou professora de Português e confesso, após anos de formada, fato que se deu em 2000, posso dizer que estou estudando novemente com você...Obrigada!!!Vou seguí-lo.

    ResponderExcluir
  63. Entendi perfeitamente, espero saber resolver com facilidade as próximas questões...obrigada

    Alynne Ferreira

    ResponderExcluir
  64. Mto boa a explicação. Parabéns! Voccê foi bem claro e prático nos exemplos.
    Adriana.

    ResponderExcluir
  65. Parabéns pela iniciativa!
    Excelente texto!

    ResponderExcluir
  66. Excelente explicação!
    Adilson Carlos

    ResponderExcluir
  67. Excelente texto, percebi que foi redigido há um tempo mas até hoje ajuda muito. Pretendo prestar o concurso do Senado 2012 e resolvendo a prova anterior vi que caiu uma questão da fgv contendo anáfora. Muito obrigado. Esse texto me ajudou muito.

    ResponderExcluir
  68. Fabrizio Moraes Fernández13 de janeiro de 2012 05:57

    Diego, muito simples, clara e concisa a explicação. Procuro provas comentadas da FGV. Se puder me ajudar eu agradeço. fabrimoraes@hotmail.com

    ResponderExcluir
  69. Diego, parabéns! Excelente explicação de fácil entendimento. Procuro provas comentadas da FGV, se vc possuir e puder me enviar, ficarei muito grata! Meu e-mail é lamounier.luiza@gmail.com.
    Muito obrigada!
    Luiza

    ResponderExcluir
  70. Diego,

    Parabéns pelo BLOG! Consegui entender finalmente! Só acho q a parte de Dêitica poderia ter sido mais comentada...no mais, está excelente!
    Abs

    ResponderExcluir
  71. Nada obstante o brilho das explicações linguísticas, do ponto de vista lógico, infelizmente, isto é uma falácia: "O enunciado não é importante no momento, basta que percebamos quais funções foram colocadas como opções de resposta."

    ResponderExcluir
  72. Parabéns , excelente explicação .

    ResponderExcluir
  73. Muito bom. Não lembrava nada disto..Quando virão novos comentários? parabéns!

    ResponderExcluir
  74. Muitíssimo obrigada! Estou, justamente, estudando para o Senado!

    ResponderExcluir
  75. Obrigado Diego pela explicação.

    ResponderExcluir
  76. Eu também estou estudando para o Senado. Muito obrigado pela explicação.

    ResponderExcluir
  77. Querido Diego,

    Parabéns pela excelente explicação.
    Acho, de coração, muito legal quando pessoas multiplicam o conhecimento de forma tão generosa e, graças a deus no seu caso, bem estruturada.

    Grande abraço,
    Pedro.

    ResponderExcluir
  78. Parabéns, que seu blog não deixe de ser esse patrimônio que é...

    ResponderExcluir
  79. Parabéns pelo post. Simples e bem explicado.

    ResponderExcluir
  80. Olá Diego! Adorei o post.
    Muito útil.
    Só queria ter lido ontem antes da prova do Senado rsrsrsrsrs
    Patrícia

    ResponderExcluir
  81. A FGV gosta mesmo de criar questões com esses termos.. fiz a prova ontem e caiu mais uma vez!!
    Espero que tenha acertado!!
    Obrigada pela explicação!!!

    ResponderExcluir
  82. Oi, meu nome é Giovanna, sou pré-vestibulanda.
    Você me ajudou com estes termos...!
    Pode me mandar algumas questões/exercícios com gabarito ?! menina.estrela@hotmail.com
    :]

    ResponderExcluir
  83. Pena... li o seu blog com três dias de atraso, no mínimo. A FGV colocou na prova do Senado... e eu chutei... Mas o meu atraso não é nada comparado com o seu... Nove meses sem responder às perguntas do blog..., tsc, tsc.

    Quem falou que espera que tenha acertado, chutou também. Também espero que tenha acertado... ha ha ha ha.

    Guilherme Ignácio

    ResponderExcluir
  84. Muito bom amigo, agradeço a explicação.

    ResponderExcluir
  85. Diego,ótimo post, não ligue para quem "não entendeu", me ajudou bastante, obrigado. Um abraço.
    Ewerton.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Gostei da explicação, mas fiquei com uma dúvida.

      O texto diz que a epanáfora é semelhante à anáfora, mas não aponta a diferença. Mais abaixo, na hora de responder à questão, é assumido que anáforico e epanafórico são iguais, podendo ser eliminadas.

      Afinal, são iguais ou apenas semelhantes. Se for a segunda opção, qual a diferença?

      Excluir
  86. Parabéns, você foi muito didático simplificando algo que parece difícil. Agora sim entendi!

    ResponderExcluir
  87. Como alguns outros, tambem li somente depois da prova. Muito boa a explicação.

    ResponderExcluir
  88. Parabéns, de grande valia! Obrigado

    ResponderExcluir
  89. Excelete explicação. Irei fazer uma prova da FVG próximo domingo e espero não errar esse tipo de questão.
    Obrigada

    ResponderExcluir
  90. Realmente o texto é um pouco confuso, principalmente em partes como essa:

    "ICMS-RJ < (n)aquela ICMS-SP < (n)esta Outro exemplo"

    ResponderExcluir
  91. Gostei muito da explicação... só há um erro: o "cujo", apesar de concordar com o termo que o sucede, se refere ao termo que o antecede.

    ResponderExcluir
  92. Perfeito, meus parabéns, depois de horas pesquisando, achei um site que preste.

    ResponderExcluir
  93. Excelente!!! Melhor explicação que eu encontrei na internet.
    Obrigada!!!
    Ana

    ResponderExcluir
  94. Muito Obrigada!! gostei muito da explicação!! vai me ajudar muito!!

    ResponderExcluir
  95. Explicação perfeita, clara e exemplificada. Parabens!!!

    ResponderExcluir
  96. Parabéns Diego,gostei muito da explicação.
    Só não entendi muito bem a função dêitica.

    ResponderExcluir
  97. Parabéns Diego... Ignorantemente eu nunca tinha ouvido a respeito do assunto e bastei ler seu artigo pra compreender o assunto.

    ResponderExcluir
  98. Diego, gostei muito da sua explanação. Parabéns!

    ResponderExcluir
  99. A respeito do assunto apresentado, fiquei muito contente e aprendi mais a respeito da Lingua Portuguesa; posto que não encontrava nenhuma referência sobre tal. Na universidade, os fatos são bem mais complexos e, como às vezes, deixam dúvidas sobre um ou mais assuntos respectivos à linguística, e à semântica.

    ResponderExcluir
  100. Sua explicação foi maravilhosa, Parabénsssss!!

    ResponderExcluir
  101. Sou estudante de Letras.Gostei muito da sua explicação. Ficou muito simples, parabéns.

    ResponderExcluir
  102. Adorei. Conseguiu tirar a duvida da questao! Parabens.

    ResponderExcluir
  103. Estamos no final de 2014 e continua sendo a melhor explicacao para o assunto... E a FGV continua cobrando :) PArabens mmmesssmo!!!

    ResponderExcluir